23 abril, 2010

Conselhos para sobreviver ao mundo gospel

por Ricardo Gondim

O mundo gospel se torna cada dia mais patético; distante do protestantismo; em rota de colisão com o cristianismo apostólico; transformado numa gozação perigosa; adoecendo e enlouquecendo milhares que são moídos numa engrenagem que condena a um duplo inferno.

Não consigo responder a todas as mensagens que entopem minha caixa postal. Milhares pedem socorro. Eu precisaria ter uma equipe de especialistas, todos me ajudando a atender os que me perguntam: “ a maldição do pastor vai pegar mesmo?”; “é preciso aceitar as patadas que recebo do púlpito?”; “em nome da evangelização, devo aturar esses sermões ralos?”.

Realmente não dá mais. A grande mídia propaga o que há de pior entre os evangélicos com petição de dinheiro, venda de “Bíblias fantásticas”, milagres no atacado e simplismos hermenêuticos. As bobagens alcançaram níveis intoleráveis.

O que fazer? Tenho algumas idéias.

Aconselho que os crentes parem de consumir produtos evangélicos por um tempo. Não compre Cd de música ou de pregação - inclusive os meus. Deixe os livros evangélicos encalharem nas prateleiras - idem, para os meus. Depois que baixar a poeira do prejuízo, ficará notória a diferença entre os que fazem missão e os que só negociam.

Não vá a congressos - inclusive o que eu promovo. Passe ao largo dos "louvorzões". Não sintonize o rádio. Boicote todos os programas na televisão. Não comente, nem critique, a pregação de pastores, bispos, evangelistas e apóstolos. Afaste-se! Silencie! Desintoxique mente, alma e espírito da linguagem, pressupostos e lógicas da "teologia da prosperidade". Volte a ler a Bíblia sem nenhum comentário de rodapé. Alimente seu interior em pequenos grupos. Reúna-se com gente de bom senso.

Estanque seus dízimos e ofertas imediatamente. Repense com absoluta isenção onde vai dar dinheiro. Mas prepare-se; no instante em que diminuírem as entradas, os lobos vestidos de pastor subirão o tom das intimidações. Não tenha medo.

Faça essa simples auditoria antes de investir o seu suor em qualquer igreja ou ministério:

Quanto tempo é gasto no culto para pedir dinheiro?
A hora do ofertório vem acompanhada de uma linguagem com “maldição, gafanhoto ou licença legal para ataques do diabo”?
Prometem-se “prosperidade, colheita abundante, bênção, riqueza”, para os que forem fiéis?
Existe alguma suspeita na administração dos recursos arrecadados? – Lembre-se que há dois níveis de integridade: o ético e o contábil. Não basta manter os livros em ordem; o dinheiro também só pode ser gasto no que foi arrecadado.
Se a resposta para alguma dessas perguntas for sim, ninguém deve se sentir culpado quando não der oferta.

So haverá arrependimento no dia em que os auditórios se esvaziarem junto com uma crise financeira - o monumental ufanismo evangélico precisa deflacionar.

Concordo, ninguém agüenta o jeito como as coisas estão.

Soli Deo Gloria.

7 comentários:

Duda disse...

Faz um tempinho já eu passei a filtrar e boicotar muita coisa do meio que se diz gospel ...

Verdade seja dita, muita coisa está fedendo de tão estragada que está porém a gospelândia continua consumindo porque é gospel e se é gospel tá valendo...

Eu não, obrigado ...

Esse texto possivelmente vai render algumas críticas... Mas eu estou preparado, pode vir!

Cristianismo autêntico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Duda disse...

Como é bom o reverberar dos justos, é muito gratificante ter sua fiel companhia nesse veículo Pastor Abel, não imagina o quanto isso é importante para mim.

Quando recebo comentários seus ou do Pastor Daniel isso me agrada grandemente.

Acredito que ser sal e luz não é escolher à quem dar gosto ou ao que iluminar. Se de maneira terrível e insossa o evangelho tem sido disseminado e de alguma maneira as palavras ditas por homens bons tem soado duras à esses, não é pelo que o bons fizeram, mas pelo que os maus tem feito.

Creio que devemos sim filtrar o que esses tiranos tem falado e denunciar o que tem feito, para que talvez eles mesmos possam ver que não Satanás como dizem, mas o povo de Deus é que os estão repreendendo e talvez possam voltar do seu mau caminho.

E também fazendo isso fortalecemos uns aos outros, para que ninguém pense que está sozinho, pois a Igreja do Senhor prevalecerá.

Cristianismo autêntico disse...

Em 24 de abril de 2010 12:52, Cristianismo autêntico escreveu:
Cristianismo autêntico deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Conselhos para sobreviver ao mundo gospel":

Querido irmão, concordo que há, e aliás sempre houve mercadores de almas,lobos vestidos de ovelha, mas não podemos cair no mesmo erro ou equívoco que caiu o profeta Elias, quando teve medo e fugiu para salvar a vida e se isolando deserto adentro, sentou-se em baixo de uma árvore e desanimado, desmotivado, indignado orou pedindo a morte: " Já tive o bastante, Senhor. Tira a minha vida; não sou melhor do que os meus anteassados. Depois se deitou debaixo da árvore e dormiu. Mas lhe aparece um anjo e lhe ofereceu pão e água para o fortalecer dizendo que a sua viagem seria longa." Com a força daquela comida Elias viajou quarenta dias e quarenta noites até chegar a Horebe,o monte de Deus. Ali entrou numa caverna e passou a noite. Pensava que só ele se conservara puro em um tempo de apostasia, busca por prosperidade pela idolatria. O Senhor lhe disse: "Saia e fique no monte, na presença do Senhor, pois o Senhor vai passar". E uma voz lhe perguntou: "O que você está fazendo aqui, Elias?... Elias respondeu: ..."Sou o único que sobrou, e agora também estão procurando matar-me". 1Rs.19:1-14 Podemos perceber que devido as circunstâncias e ameaças, a indiganação e tristeza tomou conta de Elias que se deixou confundir quis se isolar e não tinha mais animo para continuar a trabalhar, mas Deus ainda o incumbiu de algumas tarefas.
Quando olhamos para o ministério de Jesus, em meio ao grupo seleto dos doze, havia ladrão da bolsa, disputa por destaque, equívoco quanto ao foco do ministério por se alegrar com alguns resultados e não pelo motivo principal de o nome estar escrito no livro da vida. Não podemos deixar as circunstância dirigir nossa vida, e muito menos parar a obra ou caminhadada da igreja, pois depois que Deus recolhe Elias em uma carruagem de fogo, o ministério continua na vida de Eliseu com mais afinco e vigor. Precisamos mais do que nunca continuar a pregar e viver a pregação, o sal não pode se tronar insípido e a luz no pode estar debaixo do vleador. Como falou Calebe e calebe em Números 13:30 e 14:6-9 Então Calebe fez o povo calar-se perante Moisés e disse: "Subamos e tomemos posse da terra. É certo que venceremos!"; "Somemte não sejam rebeldes contra o Senhor. E não tenham medo do povo da terra... o Senhor está conosco. Não tenham medo deles!"
Em Isaías 7:3-4 O Senhor fala a Isaías: "Saia, e leve seu filho Sear-Jasube(significa um remanescente voltará). Vá encontrar-se com Acaz ...Diga a ele: Tenha cuidade, acalme-se e não tenha medo. Que o seu coração não desanime por causa do furor destes restos de lenha fumegantes..."
Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus escreve na segunda carta a igreja em 4:8 e 9 "De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados ; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos.
Portanto sigamos em frente, não se omitindo, não parando, não retrocedendo, mas sigamos, pois a bíblia adverte que os últimos diasserão tempos difíces e trabalhosos, e se o Senhor não abreviar dificilmente algúem sesalvará, vivemos o princípio das dores se intensificando cada dia mais. Um advertência seríssima é "pelo multiplicar da iniüidade, o amor de quase todos se esfriará" Não vamos ser os mensageiros desmotivadores e promotores da iniquidade e injustiça, já temos muitos meios de comunicação se encrregando disso, vamos ser os anunciadores das boas novas do Evangelho de Cristo, que salva, transforma, liberta e gera esperança nos corações.

jurandir alves disse...

Concordo com o texto, pois temos SIM, a necessidade de dar um tempo nesta corrida IGREJISTA, cheia de ativismos onde muitas vezes fazemos o que fazemos pela repeticao crendo DEUS estar na causa. A espiritualidade nao esta atrelada em pastores e igrejas, e bom congregarmos, mas podemos e devemos refletir, orar, acordar pelas manhas e nos lembrarmos que quem nos da vida e DEUS e nao convencoes e terceiros por vezes interesseiros...rsrsrr
Texto excelente

Duda disse...

Paz irmão!

É importante sermos Igreja antes de estarmos igreja.

Obrigado pelo comentário Jurandir, são sempre bem vindos.

Abraço, Duda.

Cristianismo autêntico disse...

A paz de Cristo irmãos amados.

Concordo em não apoiar e não se associar para não sermos promotores dos mercadores de alma, mas me preocupo também ser possível que o tiro sair pela culatra, quando incentivamos as poessoas a não participarem, não contribuirem,não consumirem nada do que se diz evangélico, boicotar sistematicamente qualquer relação com o mundo evangélico, pois está como o trigo e joio entrelaçado uma coisa com a outra, será que não estaremos arrancando o joio juntamente com o trigo, ou seja penalizando quem nada tem haver com essa podridão? Será que não estaremos travando ou impedindo o curso dos que sinceramente servem a Deus? Eu não sou escritor nem cantor, não estou defendeno a venda de produtos, estou falando da propagação do evangelho por diversos meios de comunicação de maneira coerente, por amor e no temor de Deus, por exemplo não abririamos mias este meio de comunicação por que pode ser enquadrado também neste boicote. Sou pastor, e vejo hoje a dificuldade que as pessoas tem de se entregarem totalmente por amor a causa do Reino, de se envolverem, de renunciar a tudo por amor a Jesus, coisa que Ele diz que quem não fazer isso, não tem parte com Ele, talvez aproveitem da sujestão para lavar as mãos e justificar o descompromisso com o Cristo e o seu corpo que é a sua igreja. Nossas atitudes ou palavras lançadas tem um poder de influenciar e até decidir o curso da humanidade, segundo fala o nosso irmão Tiago em sua epístola capítulo 3 sobre o poder da língua. Nós precisamos sim, a luz da palavra que é lâmpadas para os pés e luz para o caminho, com o discernimento que vem do Espírito Santo e a sabedoria que vem de Deus, fazer a triagem, reter o que é bom, discernir as coisas espirituais. O juiz é o Senhor. Podemos sim confrontá-los com a palavra e pela palavra, mas não nos omitir e penalizar quem nada tem haver com isso, a igreja não pode parar de ser sal fora do saleiro e nem de ser luz no velador, os frutos precisam aparecer, os sinais devem acompanhar os que creem. Sigamos fazendo a nossa parte, pois Deus certamente sempre faz e fará a sua.
Um abraço, no amor de Cristo Jesus.