19 maio, 2010

Reverendo Getro Camargo da Silva

Por Pastor José do Carmo da Silva

Reverendo Getro da Silva Camargo um dos tais, que combateu o bom combate, completou a carreira, guardou a fé e nos antecedeu a Pátria Celestial
E o Pastor Getro não podia parar... Razão pela qual Deus o tomou para si.

“Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham.” Apocalipse 14: 13

Telefonemas no meio da noite quase sempre trazem noticias tristes após o som estridente que nos tira assustados da cama. Estou escrevendo este artigo, após vivenciar tal situação. A razão deste artigo é comunicar a todo o Povo chamado Metodista, que o Reverendo Getro da Silva Camargo, após combater o bom combate, completar a carreira e guardar a fé, foi chamado a presença do Senhor" (II Tm 4:7). Dias atrás a pedido dele escrevi o relato sobre o VI Encontro de Homens e Mulheres Metodistas ocorrido em São Gabriel do Oeste - MS. Nesta noite, tomado pela tristeza e já sentindo saudades daquele que foi instrumento de Deus para me trazer para o ministério pastoral, em meio a lágrimas esforço-me para noticiar sua súbita morte, possivelmente conseqüente de um ataque cardíaco, a caminho do hospital em Dourados.

Lá fora chove copiosamente, a chuva e o frio parecem ser presente em todo o Estado de MS. Nova Andradina, batizada de a “Cidade Sorriso” pelo pastor metodista dono do primeiro jornal ali existente, nesta noite de segunda-feira, não sorri, mas chora, chora torrencialmente. Chora por ter perdido um de seus mais ilustres cidadãos. Há choro também nas casas pastorais do Distrito de Campo Grande, de Mato Grosso e Mato - grosso - do - Sul. Ao atender ao telefone, cada pastor ou pastora recebia uma noticia triste. A notícia que o Reverendo Getro da Silva Camargo, o pastor, o pai na fé de muitos metodistas espalhados por este estado e outras regiões do país, poucos meses após se aposentar no ministério pastoral recebera a convocação para se apresentar a casa do Pai Celeste. Aos 72 anos, ainda exercendo o oficio de Superintendente Distrital, ele recebeu definitivamente das mãos do Senhor o titulo de cidadão celeste, pois na noite do dia 17 às 21 horas deixou a pátria sul-mato-grossense para habitar eternamente a Pátria celestial.

Ficam na memória os feitos, as mensagens pregadas, as histórias vividas, os casos contados deste, o qual pode ser honrosamente considerado um dos Pais do metodismo no Mato Grosso e Mato Grosso – do - Sul. Fica a ecoar na memória de todas as Igrejas por onde ele passou a voz forte que cantava em cada encontro, ou culto onde ia pregar esta frase: “E a Igreja não pode parar, Jesus mandou o Evangelho anunciar e a Igreja não pode parar!”

Getro era Cidadão Sul-Mato-Grossense, cidadão Nova-andradinense, pastoreou diversas igrejas metodistas em Mato Grosso do Sul e no interior do Estado de São Paulo. Por onde passou deixou filhas e filhos na fé, inclusive trazendo alguns para o ministério pastoral, dentre esses filhos que hoje pregam a palavra e pastoreia o rebanho do Senhor eu sou um.

Hoje dia 17/05/10 me sinto novamente órfão, sou tomado pela mesma dor que senti quando meus pais faleceram. Contudo estranhamente sinto em meu ser um misto de alegria e tristeza. Alegria, pois sei que Deus chamou para si o homem, a alma, o espírito, mas deixou para nós o exemplo de pastor e líder espiritual. E por saber que ao meu referencial de pastor se aplica estas palavras das Escrituras: "Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham.” Apocalipse 14: 13

Agradeço a Deus pela vida do Reverendo Getro, indubitavelmente um exemplo a todos os jovens pastores, numa época onde muitos abandonam o combate, nega a fé, e se desviam da carreira, ele morre firme no Senhor, após o exercício de um frutífero ministério pastoral.

A cada encontro, principalmente no (EMOMEMAGO) Encontros da Mocidade Metodista de Mato Grosso e mato- Grosso - do - Sul, o qual foi um dos fundadores, ele sempre cantava de forma ritmada com palmas e coreografias: "E a Igreja não pode parar!" Após passar por todos aqueles que são a Igreja, composta por homens e mulheres, jovens, juvenis, grupos societários, pastores, sempre chegava a hora em que a Igreja em coro cantava para ele: "E o Getro não pode parar, Jesus mandou o Evangelho anunciar, e o Getro não pode parar!" E ele não parou! Mesmo aposentado, não parou! Continuou pregando, continuou anunciando.

Somente o que é eterno não pode parar, e Deus vendo que ele não podia e não iria parar, tomou-o para si. Com a vida do Getro, a Igreja de Cristo ganhou muitas almas, com sua morte, a Pátria Celeste ganhou mais um cidadão e a galeria dos heróis da fé do Povo chamado Metodista no Brasil mais um membro.

Veja abaixo um pouco da trajetória deste homem de Deus, indubitavel heroi da fé cristã metodista, o qual tomou posse em definitivo na noite de segunda – feira às 21 horas do titulo de Cidadão dos Céus. Titulo que recebera quando aceitou aquele que por ele morreu na cruz e o qual morrera pregando.

Pastor Getro da Silva Camargo (Igreja Metodista)

Pastor Getro foi o primeiro pastor da Igreja Metodista que teve residência fixa em Nova Andradina, já que antes a cidade era atendida por um pastor de Glória de Dourados e Ponta Porã. Pastor Getro nasceu na cidade de Ourinhos Estado de São Paulo, no dia 27 de setembro de 1938, filho do construtor Cornélio da Silva Camargo (In memorian) e da costureira Cantidiana dos Santos Camargo (In memorian). Getro iniciou seus estudos em Ourinhos, onde viveu até os 20 anos, foi funcionário do cartório do ofício, funcionário do Bradesco, e em 1958 mudou-se para Lins, no Estado de São Paulo, para estudar no Instituto Americano de Lins, participando do pré-seminário até 1962, um ano de pré-seminário em Birigui/SP já com nomeação.

Em 1963 começou a auxiliar como pastor, na cidade de Bilac/SP. De 1962 a 1964 fez a faculdade de Teologia da Igreja Metodista de Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo, por três anos, onde foi nomeado como pastor auxiliar em São Vicente/SP e na Vila Industrial/SP. Em 1965, foi nomeado como pastor para a 5ª região, que é a região de Nova Andradina, quando também atendia a Glória de Dourados e Deodápolis. Em 1966, no dia 09 de abril, casou-se com a senhora Elza Leal Camargo. Em 1970, foi nomeado para cidade de Campestre, Estado de Minas Gerais, e no final deste ano foi transferido para substituir um pastor de Campo Grande (Canadense) que estava de férias no Canadá até o final de 1971. Em 1971, no dia 14 de julho, nascia o filho Haldo Ely Leal Camargo, hoje com 38 anos, casado com Eni Leal da Silva Camargo.

Getro e Elza têm três netos, Guilherme Augusto, Hemilly da Silva Leal Camargo e Handrei Leal da Silva Camargo. Pastor Getro voltou para São Paulo, onde terminou o semestre do curso de Teologia, retornando a Nova Andradina, e em 1972 foi nomeado novamente para Nova Andradina, onde permaneceu alguns anos, atuou como professor primário na Escola Municipal do Córrego Bernardo. Em 1973 foi bibliotecário da Biblioteca Municipal, de 73 a 75 foi também Secretário de Gabinete do saudoso prefeito Alcides Menezes de Faria por três anos consecutivos. Em 1976, foi nomeado para a cidade de Dourados, onde permaneceu como pastor por 10 anos retornou à Nova Andradina, e após um período foi nomeado novamente para Campo Grande ficando pelo período de quatro anos, sendo então nomeado por mais cinco anos para a cidade de Presidente Prudente/SP. Em 1996, foi nomeado novamente para Nova Andradina, e permanece atuando até hoje.

JORNAL O PIONEIRO - Em 1967, Nova Andradina não tinha nenhum jornal, apenas um alto falante, e sempre gostando de jornalismo, pastor Getro começou a escrever os primeiros jornais, juntamente com a sua esposa. Os jornais eram mimeografados e depois foram impressos em Presidente Prudente, e recebeu o nome de “O Pioneiro”, com quatro folhas frente verso, que eram distribuídos na região no período de 1967 até 1970.

CIDADE SORRISO - Ao participar de um desfile de Sete de Setembro e observar de cima do palanque (caminhão), o pastor Getro percebeu que apesar das crianças desfilarem pelas ruas empoeiradas da época, mantinham um grande sorriso, a partir da daí, cognominou a cidade de Nova Andradina de “Cidade Sorriso”. A população ao ler o jornal deu seu apoio, assim como as escolas, e esse cognome permanece até hoje.

Reverendo Getro da Silva Camargo, indubitavelmente é mais um dos Tais, que combateu o bom combate, completou a carreira, guardou a fé e honrosamente nos antecedeu a Pátria Celestial. Em favor da irmã Elza, do filho, netos e netas elevemos a Deus nossas orações, para que o Divino Consolador os fortaleça nesta hora de dor.

Pastor José do Carmo da Silva – O Zé do Egito

2 comentários:

Pr. José do Egito disse...

E o Distrito de Campo Grande não pode parar!

Reverendo Getro da Silva Camargo - In memorian.

Os céus estão em festas, nosso coração em luto.
Mas, há uma carreira a correr, uma mensagem a proclamar.
Jesus manodou o Evangelho anunciar, e a Igreja não pode parar!

Assim como Timóteo sem Paulo.
Tal qual Paulo sem Barnabé.
Diante das separações da vida
precisamos continuar com fé.
O mestre só deixa o discípulo,
depois de bem o preparar.
Todo discípulo honra seu lider,
Quando o sabe imitar.
Pregando o Mestre dos mestres, pois a Igreja não pode parar!

Das muitas vezes em que pensar em parar.
A mão do arado tirar.
O cajado abandonar.
Lembrai-vos do lider que pregando cantava: Jesus mandou o Evangelho anunciar, você é Igreja, e não pode parar!

Morreu o homem ficou a memória.
Deus levou o lider, mas deixou sua história.
Seu exemplo continuará a nos inspirar, sua memória, pregando a Cristo, vamos honrar.
Pois, Jesus mandou o Evangelho anunciar, e a Igreja não pode parar!

A vida do lider mesmo depois de morto ainda fala.
Seu serviço a Cristo, é exemplo que jamais cala.
Povo Metodista sul-mato-grossense,
Olhemos para os campos e a cabeça levantemos.
Com nossos corações aquecidos, desta mensagem, jamais nos esqueçamos: Jesus mandou o Evangelho anunciar, somos Igreja, não podemos e não vamos parar!

Pr. José do Egito disse...

E o Distrito de Campo Grande não pode parar!

Reverendo Getro da Silva Camargo - In memorian.

Os céus estão em festas, nosso coração em luto.
Mas, há uma carreira a correr, uma mensagem a proclamar.
Jesus manodou o Evangelho anunciar, e a Igreja não pode parar!

Assim como Timóteo sem Paulo.
Tal qual Paulo sem Barnabé.
Diante das separações da vida
precisamos continuar com fé.
O mestre só deixa o discípulo,
depois de bem o preparar.
Todo discípulo honra seu lider,
Quando o sabe imitar.
Pregando o Mestre dos mestres, pois a Igreja não pode parar!

Das muitas vezes em que pensar em parar.
A mão do arado tirar.
O cajado abandonar.
Lembrai-vos do lider que pregando cantava: Jesus mandou o Evangelho anunciar, você é Igreja, e não pode parar!

Morreu o homem ficou a memória.
Deus levou o lider, mas deixou sua história.
Seu exemplo continuará a nos inspirar, sua memória, pregando a Cristo, vamos honrar.
Pois, Jesus mandou o Evangelho anunciar, e a Igreja não pode parar!

A vida do lider mesmo depois de morto ainda fala.
Seu serviço a Cristo, é exemplo que jamais cala.
Povo Metodista sul-mato-grossense,
Olhemos para os campos e a cabeça levantemos.
Com nossos corações aquecidos, desta mensagem, jamais nos esqueçamos: Jesus mandou o Evangelho anunciar, somos Igreja, não podemos e não vamos parar!