30 janeiro, 2010

Só lá no rio Grande mesmo...

Em 1997 cheguei no Mato Grosso do Sul...
Vim para mudar de vida, tinha vários alvos, o mais claro era a faculdade. Logo que cheguei na casa de minha Tia que já estava a alguns anos em Dourados MS conheci algumas pessoas que vieram a ser meus melhores amigos, alguns até hoje!
Numa tarde de sábado, chovendo, a esquina de minha casa que era bem movimentada havia sido tomada de um barro vermelho caracteristico deste lugar abençoado por Deus para agricultura. A Sanesul tinha feito um buraco e como quase sempre dez ou vinte dias depois o buraco ainda estava lá. Dois carros colidiram bem em frente de casa. Foi um barulho! Eu estava sentado no muro, muro esse que passei bons e siginificativos momentos de minha vida naqueles anos. Naquele muro filosofamos, criamos teologias e heresias, falavámos bem do Gremio de detonávamos o Corintians, ali fizemos amigos, ali fizemos inimigos, ali fizemos coisas que nem valem mais apena dizer!
Mas naquela tarde eu estava só no muro e pude ver os carros se chocarem bem em minha frente.
Foi então que chamei a galare que tava dentro de casa e com entusiasmo elaborei a frase que por um bom tempo foi motivo de sarro: "Gurizada corre aqui, dois autos pexaram no barral e foi a maior quebrança". Ninguém se  moveu, ninguém entendeu, na verdade só queria dizer que devido ao barro espalhado na rua dois carros colidiram e muita coisa estava quebrada e eles deveríam vir ver!
Esse Brasil.
É tão grande que nem a lingua dele nele cabe!
Se um dia você for no Rio Grande do Sul é bom saber que por lá existe uma mistura do italiano com o portugês somado ao alemão que forma o gauchês, lingua não oficial, porém bem tagarelada no RS.

Alemoa: loura
Atorá: cortar

Atucanado: ocupado, atarefado
Baita: grande

Bem Capaz: jamais, negação enfatizada
Cagar a pau: bater
Camassada de pau: apanhar
Campiá: procurar

Capaz: verdade?
Chumaço: conjunto de alguma coisa
Cóça de laço : apanhar
Crêendios pai: exclamação quando algo dá errado
De revesgueio: de um tal jeito
Fincá: cravar
Garrão: calcanhar
Incebando: enrolando, fazendo cera
Ingrupi: enganar
Ínôzá: amarrar (já viu palavra com todas as sílabas com acento?) 
Intertê: fazer passar o tempo com algo
Inticá: provocar
Invaretado: nervoso
Japona: jaqueta de lã ou de nylon
Jóssa: coisa
Judiá: mal tratar
Kakedo: pessoas que não valem nada
Malinducado: mal educado
Paiêro: fumo de palha
Pânca: modo de se portar, por exemplo: panca de motoqueiro

(jeito de motoqueiro)
Pare, home do céu: parar, o mesmo que 'se par de bobo' e
'deusolivre home'.

Pardal: radar fixo
Pestiado: com alguma doença
Pexada: acidente
Podá: ultrapassar, ou cortar, o mesmo que podá
Pozá: dormir em algum lugar
Rancho: compra do mês
Relampejando: trovejando
Resbalão: escorregar
Sinalêra: semáforo
Táio: corte
Tchuco: bêbado
Trupicá: tropeçar

Tri atucanado: muito ocupado
Tunda de laço : apanhar
Vortiada: passeio
Ximia: doce de passar no pão
Exemplo de aplicação:
Agora manda esse artigo viam e-mail para intertê os teus amigos, aproveita enquanto teu chefe foi dá uma vortiada... Não sei como ele não vê que mesmo intuiado de trabalho você fica incebando o dia inteiro... Pare de campiá desculpa, fica falando que tá pestiado e ainda consegue ingrupi o coitado do chefe... Mas vai logo, antes que ele volte e fique invaretado de te ver pescociando... Pare de se bostiá, home do céu, não seja malinducado e manda essa jóssa de uma vez...
 MAS BAH TCHÊ.....especial de primeira...Boenacho..  TRI LEGAL, né!!!

3 comentários:

Duda disse...

É um chato de galocha mesmo...

kkk

Jaqueline Hannusch Leal disse...

Mas Bah!
Não é prá tanto!
Mas sabe que invaretado em Porto Alegre é sinonimo de envergonhado? E para mim 'de revesqueio' tá mais para atravessado.
Fazer o que? Ainda falamos melhor que outros estados...hehehe

SBKAUER disse...

Hehe, eu fiquei 3 anos no MS e agora no RS olho pra essas expressões e vejo q já estão voltando a fzr parte de meu vocabulário. Aqui em Caraá, as expressões tbm ficam diferentes. Por exemplo relampejar aqui, se refere a relâmpagos e não trovões. Assim em uma tempestade relampeja (clarões), troveja (barulho) e dá raios. O RS é muito esquisito nisso mesmo, mas estando aqui, é impossível não voltar a "falar gauchês.."